Mistério

ENCONTRAR VIDA EM MARTE SERIA “A PIOR NOTÍCIA DE TODAS”

Você já deve ter ouvido falar do Paradoxo de Fermi, mas se ainda não ouviu, aqui vai sua definição em poucas palavras: Dada a alta probabilidade de existência de vida alienígena lá fora no universo, por que ninguém entrou em contato? Se existem tantas outras civilizações por aí, possivelmente em estágios muito mais avançados do que nós, por causa do tempo que o universo existe, por que eles não estão fazendo o que estamos fazendo, enviando sondas e procurando desesperadamente outros sinais de vida?

ENCONTRAR VIDA EM MARTE SERIA “A PIOR NOTÍCIA DE TODAS”

(Créditos: Reprodução)
O Grande Filtro

Uma ideia é o Grande Filtro. A hipótese é que antes que civilizações alienígenas possam chegar ao ponto em que sejam capazes de deixar seu sistema solar e começar a colonizar sua galáxia, algo acontece para impedi-los de fazer isso, ou veríamos evidências disso em nossa própria Via Láctea. Se isso acontece ao passo da vida multicelular evoluir aos animais que podem usar ferramentas, ou de onde estamos agora para explorar a galáxia, simplesmente não sabemos.

O que torna isso tão interessante é que não saberíamos se ultrapassamos o “grande filtro” ou se isso acontecerá em nosso futuro. Será que a maioria não consegue passar da vida de uma única célula e nós superamos esse filtro? Ou em algum ponto ainda por vir estaremos nós, como outras civilizações alienígenas lá fora, prestes a nos destruir antes de sermos capazes de deixar a Terra, talvez através da guerra ou usando nossos recursos escassos antes de podermos escapar?

De forma um tanto desconcertante, alguns filósofos e cientistas sugeriram que isso significa que se encontrássemos vida em, digamos, Marte, haveria implicações menos do que ideais para onde estamos em relação ao Grande Filtro. O professor de filosofia da Universidade de Oxford, Nick Bostrom, diz que espera que a busca por vida extraterrestre não dê em nada. Se encontrarmos formas de vida muito simples, argumentou Bostrom em um artigo publicado no MIT Technology Review em 2008, poderíamos concluir que o filtro acontece algum tempo depois desse ponto da vida. Se encontrarmos vida multicelular, isso reduziria o ponto em que o Grande Filtro poderia ocorrer.

Se encontrássemos evidências de vertebrados em Marte (muito improvável, mas podemos sonhar!), Ele acreditava que seriam notícias terríveis, pois sugeririam que a maior parte do Grande Filtro ainda está em nosso futuro, e teremos para enfrentar a probabilidade de sermos extintos antes de estarmos tecnologicamente maduros o suficiente para viajar pela galáxia.

“Tal descoberta seria um golpe esmagador. Seria de longe a pior notícia já publicada na capa de um jornal”, escreveu Bostrom. “É por isso que espero que nossas sondas espaciais descubram rochas mortas e areias sem vida em Marte, na lua de Júpiter, Europa, e em todos os lugares que nossos astrônomos procuram. Isso manteria viva a esperança de um grande futuro para a humanidade”, disse ele.

Portanto, embora existam muitas outras soluções possíveis para o Paradoxo de Fermi que valem a pena olhar se você gosta desse tipo de coisa, se Bostrom estiver correto, isso significa que encontrar evidências de civilizações avançadas é uma boa notícia, mas encontrar os estágios primitivos da vida seria a pior notícia possível que poderíamos receber.

Facebook Comments Box

Leave a Reply

Your email address will not be published.