Curiosidades Entretenimento Notícias

Homem salva criança de 5 anos de pitbull e é reconhecido como herói pela população


Um homem tem sido chamado de herói desde a última quinta-feira depois de salvar um menino de 5 anos de um pitbull na Zona Norte do Rio de Janeiro. Patrick do Céu contou que ao ver o menino sendo perseguido, só conseguiu pensar na sua filha e por isso agiu tão rápido.

Imagens de câmeras de segurança mostram a criança passando com a babá quando o cachorro parte para cima. A mulher tenta afastar o cão, mas sem sucesso. Patrick então entra em cena e começa a lutar para que o pitbull soltasse a criança.

Quando finalmente conseguiu afastar o cachorro do menino, Patrick o colocou em cima de um carro. O cão então voltou a ele e ele próprio subiu no veículo para fugir.

O jovem contou que não teve esta atitude para ser chamado de herói e sim porque lembrou de sua filhinha. “Não sou herói, longe disso. Quando vi o que estava acontecendo, só consegui pensar na Lara. Fiz por aquele menino o que eu faria por ela. Não pensei em mim em nenhum momento, só queria fazer com que ele ficasse seguro. Agi por instinto”.

Segundo ele, o cão não é de ninguém da vizinhança e apareceu naquele mesmo dia. “Quando ele chegou eu nem queria que ele ficasse por perto, porque sei que o pitbull pode ser perigoso. Mas depois dei água, ração e carinho porque achei que algum dono poderia estar procurando por ele. Quando ele se agitou ao ver a criança, pedi pra todo mundo tentar não demonstrar medo, mas ele avançou. Foi quando corri pra fazer alguma coisa”.

O animal foi levado pelo Corpo de Bombeiros e o dono ainda não foi identificado. Patrick, a babá e a criança foram ao hospital para tratar os ferimentos. De acordo com o “Extra”, o menino teve ferimentos em várias partes do corpo e levou cinco pontos no pescoço, a babá ficou com um machucado no braço por conta da queda e Patrick levou um ponto na mão, e teve ferimentos nas pernas e braços, causados pelas mordidas.

Jovem que salvou menino de pitbull no Rio conta que animal tinha marcas de ferimentos

Mãe do menino ficou emocionada ao falar sobre resgate do filho. Patrick do Céu e criança sofreram ferimentos leves; empregada quebrou o braço. ‘Herói’ está em busca de emprego.

O vizinho que salvou um menino de 5 anos do pitbull, na última quinta-feira (19), disse nesta segunda (23) que o cão já tinha sinais de ferimentos, que poderiam ser de maus tratos, e eximiu o animal de qualquer culpa. Ele contou que imaginou a filha passando pela situação e se sentiu obrigado a ajudar.

“Nenhuma raiva. O cachorro é inocente. É igual uma criança”, explicou Patrick do Céu.
Patrick, que está desempregado e em busca de um trabalho, contou que não se sente um herói pelo que fez. Ainda com mãos e pernas arranhadas, contou que o pitbull apareceu na rua na última quarta-feira (18), que estava sem dono e que chegou a dar água e comida ao animal.

“Eu imaginei a minha filha no chão. Quando eu vi aquilo, eu coloquei na minha cabeça que era a minha filha e eu tinha que salvar”, destacou Patrick.
No meio do resgate do menino, o celular de Patrick, caiu no chão e quebrou.

O pequeno João, alvo do animal, ficou com o olho inchado e levou alguns pontos no pescoço. Os dois ficaram meia hora no teto do carro esperando por ajuda.

“O corte foi bem profundo. Na hora que o médico abriu para lavar, dava para enfiar a primeira parte do dedo. Foi por muito pouco”, contou a mãe, emocionada.

A babá do menino, que está com o braço imobilizado, contou que o cachorro começou a ficar agressivo quando viu crianças brincando de patinete. Ela, que quebrou o braço após o episódio, se protegeu ao ver que a criança estava segura em cima do carro.

“O barulho do patinete estava incomodando (o pitbull). Mas aí ele me pegou por trás e me derrubou”, explicou.

A vizinhança só descobriu a gravidade depois que o dono do carro estranhou os amassados no teto e pediu as imagens das câmeras de segurança.

O cão está no Instituto de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman, em São Cristóvão. De acordo com a Vigilância Sanitária, ele deve ficar em observação por dez dias. O dono ainda não foi encontrado.

O animal não possui nenhum chip que identifique o dono. Durante o período que ele ficará sob observação, os profissionais de saúde veterinária verificarão se o animal está castrado e em plenas condições de saúde.

 

Facebook Comments Box

Leave a Reply

Your email address will not be published.